foto:Gage Skidmore / Flickr

Um número quase recorde de 318 indivíduos e organizações foram propostos para o Nobel da Paz 2017, indicou esta quinta-feira o Instituto Nobel, uma lista heteróclita que inclui os “capacetes brancos” sírios, Donald Trump ou ainda Jacques Chirac.

A identidade dos candidatos é em princípio mantida secreta, mas os seus patrocinadores – deputados e ministros de todos os países, antigos laureados, diversos professores universitários – podem anunciar publicamente o nome do proposto, sob a reserva de que o seu dossier seja aceite pelo comité.

Os “capacetes brancos” sírios, o blogger saudita detido Raef Badaoui e o norte-americano Edward Snowden, que revelou a amplitude da vigilância eletrónica pela Agência Nacional de Segurança (NSA), dos Estados Unidos, também foram propostos.

O mesmo sucede para o novo Presidente norte-americano Donald Trump, apoiado por um compatriota com identidade ainda desconhecida, mas que pretende ver reconhecida a sua “ideologia de paz pela força“.

A União Americana para as Liberdades Civis (ACLU), crítica de certas medidas adotadas pelo novo ocupante da Casa Branca, também é citada.

Na lista estão ainda incluídos o papa Francisco, proposto por um deputado norueguês por ser “um dos raros a desafiar Donald Trump”, o Presidente russo Vladimir Putin ou o ex-Presidente francês Jacques Chirac.

O Instituto Nobel precisou que as candidaturas se distribuem entre 215 indivíduos e 103 organizações, o número mais elevado da história mais que centenária do prémio, após 2016, quando 376 candidaturas foram registadas. O comité Nobel deverá anunciar a sua escolha no dia 6 de outubro.

Em 2016 o Nobel foi atribuído ao Presidente colombiano Juan Manuel Santos, pelos seus esforços de paz num país assolado por um conflito com mais de meio século.

// Lusa

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Anti Spam * * Tempo esgotado. Por favor recarregue o CAPCHA.