Nuno Crato, admitiu esta quinta-feira que a Universidade Lusófona venha a anular licenciaturas, se ficar comprovado que houve irregularidades no processo de atribuição de creditações a alunos.

As ilegalidades que possam vir a ser detetadas, implicarão a anulação dos graus académicos atribuídos pela Instituição de Ensino Privado.

O Ministério da Educação e Ciência divulgou esta quinta-feira dois despachos onde sanciona com uma “advertência formal” pelo não cumprimento de recomendações feitas em 2009 acerca do reconhecimento de créditos a alunos desta Universidade.

As dúvidas sobre o processo de creditações na Lusófona, tornaram-se reais quando ficou conhecido que o ministro Miguel Relvas obteve a sua licenciatura quando esta Instituição lhe reconheceu 160 créditos no ano letivo 2006/2007.

“Detetaram-se algumas insuficiências no processo” das creditações e “decidimos fazer uma advertência formal”, que é a sanção mais baixa que poderia ser atribuída, acrescentou Nuno Crato, à margem de um Colóquio realizado hoje pela Sociedade Portuguesa de Matemática no Instituto para a Investigação Interdisciplinar da Universidade de Lisboa.

A Universidade Lusófona já admitiu rever todos os processos em causa, no prazo de dois meses.

Redação iPressGlobal

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Anti Spam * * Tempo esgotado. Por favor recarregue o CAPCHA.