Um grupo de extrema-esquerda turco reivindicou este sábado o atentado suicida de sexta-feira contra a embaixada dos Estados Unidos em Ancara, que fez dois mortos, incluindo o bombista, e três feridos.

Num comunicado divulgado na internet, a Frente de Libertação Popular Revolucionária (DHKP-C), à qual as autoridades turcas já tinham atribuído o ataque, acusa os Estados Unidos de serem “os assassinos do mundo”.

O ‘site’ mostra duas fotografias do bombista suicida, identificado pelas autoridades como Ecevit Alisan Sanli, posando com um cinto de explosivos e uma metralhadora em frente de uma bandeira do movimento.

As autoridades turcas informaram hoje que Sanli, 40 anos, esteve preso até 2001 pelo seu envolvimento num ataque a um quartel em Istambul em 1997.

A Frente de Libertação Popular Revolucionária consta das listas de organizações terroristas da União Europeia e dos Estados Unidos. Ao longo das últimas quatro décadas, o grupo fez vários ataques que mataram dezenas de pessoas, incluindo dirigentes políticos e militares.

Na sexta-feira, Sanli aproximou-se do bloqueio de estrada junto à secção consular da embaixada dos Estados Unidos e fez explodir cerca de seis quilos de TNT.

Um segurança da embaixada, de nacionalidade turca, morreu e três pessoas ficaram feridas, uma das quais, uma jornalista, com gravidade.

NOTICIA AGÊNCIA LUSA

 

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Anti Spam * * Tempo esgotado. Por favor recarregue o CAPCHA.