O líder socialista espanhol criticou neste sábado as explicações de Mariano Rajoy sobre a alegada corrupção que envolve o Partido Popular (PP), acusando o presidente do Governo de levar Espanha a uma situação inviável, impossível e ingovernável”

Alfredo Pérez Rubalcaba que falava aos jornalistas em Madrid, explicou que “nas próximas horas” manterá contactos com outros dirigentes socialistas para preparar uma declaração institucional.

No entanto, considerou que a situação nas últimas 48 horas “é mais crítica” devido às informações surgidas na imprensa espanhola e sobre as quais Mariano Rajoy não deu suficientes explicações.

“Há 48 horas disse que teríamos que esperar pela veracidade da documentação e cada dia se comprova mais e, portanto, a cada manhã se complicam mais as coisas”, disse.

Para Rubalcaba o líder do PP não deu “nenhuma explicação” aos espanhóis sobre o alegado financiamento irregular do PP.

O líder socialista reagia assim a uma declaração, sem direito a perguntas, de Mariano Rajoy que, na sede do PP, anunciou hoje que vai tornar públicas todas as suas declarações de rendimento e património para demonstrar que não tem “nada a esconder” e que “nunca” recebeu dinheiro “negro”.

“É falso. Nunca recebi nem distribui dinheiro negro neste partido ou em qualquer lado. É falso. Tudo o que se disse e o que se pode insinuar é falso. E digo-o com toda a serenidade”, afirmou hoje Mariano Rajoy.

“Não tenho nada a esconder. Não temo a verdade”, afirmou.

Rajoy falava depois de uma reunião extraordinária do Comité Executivo do PP, convocada depois de notícias de alegados pagamentos não declarados (conhecidos como “em negro” em Espanha) a dirigentes do partido, incluindo o próprio presidente, Mariano Rajoy.

Na sua intervenção Rajoy comprometeu “todo o partido à máxima transparência, a facilitar tudo o que seja necessário para que se clarifique a verdade e a mostrar tudo para que não fique sobre esta questão a menor sombra de dúvida”.

“Transparência total do que me afeta e no que afeta ao partido e aos seus dirigentes. E refiro-me às declarações de rendimento, património e quanta informação seja relevante. Por isso, na próxima semana as minhas declarações de rendimentos e património estarão à disposição de todos os cidadãos na página da Moncloa [Governo]” afirmou.

Rajoy reagia à polémica publicação pelo jornal El Pais do que o jornal identifica como “os papéis secretos de (Luis) Bárcenas”, o ex-tesoureiro do Partido Popular (PP), que, alegadamente, demonstram pagamentos aos principais dirigentes do partido entre 1990 e 2009.

Entretanto fontes do PP confirmaram que atual tesoureira do partido, Carmen Navarro, apresentou hoje ao Comité Executivo do partido os resultados de uma investigação interna que, explicou, documento a legalidade dos pagamentos feitos a todos os líderes do PP.

Trata-se de uma análise feita às contas do partido desde 1995 e que demonstram que não se pode deduzir a existência de receitas ou gastos realizados pelo PP “que não tenham sido devidamente assentados nos registos contabilísticos”.

Fontes do PP indicaram entretanto que na reunião de hoje os ‘barões’ do partido, incluindo o presidente da Junta da Galiza, Alberto Núñez Feijóo, defendem que Rajoy deveria apresentar uma queixa na justiça contra o ex-tesoureiro do partido, Barcenas.

As declarações de Rajoy não acalmaram o debate sobre o caso nas redes sociais com apoiantes do PP a promoverem no twitter a etiqueta #yocreoenRajoy (eu acredito em Rajoy) que foi entretanto transformada por outros utilizadores com a mensagem “eu acredito em Rajoy… e na Fada dos Dentes, nos Reis Magos e em unicórnios”.

Multiplica-se também a etiqueta “Rajoy não responde”, criticando o facto do líder do PP não ter aceitado perguntas dos jornalistas.

NOTICIA AGÊNCIA LUSA
COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Anti Spam * * Tempo esgotado. Por favor recarregue o CAPCHA.