Vila Pouca de Aguiar, 16 nov (Lusa) – O ministro da Educação, Nuno Crato, negou hoje, em Vila Pouca de Aguiar, um recuo por parte do Governo nos cortes orçamentais no ensino superior, garantindo que foi encontrada uma maneira de minorar os problemas.

Nuno Crato inaugurou esta tarde o pavilhão desportivo de Pedras Salgadas, concelho de Vila Pouca de Aguiar, onde chegou sem ter ouvido qualquer queixume, como fez questão de salientar.

Na quinta-feira, após uma reunião com as universidades e politécnicos foi anunciado um recuo nos cortes ao ensino superior público, com uma reafetação de verbas do Ministério da Educação e Ciência, contando com um reforço acordado com o Ministério das Finanças.

Questionado pelos jornalistas, Nuno Crato fez questão de afirmar que “não houve recuo nenhum”.

“O Governo já tinha anunciado que estava a trabalhar, através do ministro da Educação e Ciência e do ministro das Finanças para resolver alguns problemas que tinham sido introduzidos nas universidades pelo aumento da participação em relação à Caixa Geral de Aposentações e pela reposição dos subsídios que não estavam devidamente contabilizados”, explicou.

O ministro referiu que, através de um trabalho conjunto entre os dois ministérios, foi encontrada uma maneira de minorar esses “problemas que resultam de algumas questões técnicas”.

“Estamos a viver momentos difíceis, mas encontramos uma solução para minorar estas dificuldades que surgiram por estes problemas técnicos no Orçamente de Estado (OE)”, salientou.

Na quinta-feira, fonte da assessoria de imprensa da tutela confirmou que o que está em causa para os politécnicos e para as universidades, é a redução do corte de 9,4 por cento anunciado em outubro para os 3,2% com que os politécnicos e universidades estavam a contar em julho e com base nos quais elaboraram os seus orçamentos para 2013.

Na semana passada, os reitores alertaram para a possibilidade de “desintegração” do mundo académico português em consequência dos cortes, cujo agravamento foi comunicado em outubro.

O ministro salientou ainda o empenho das universidades e politécnicos para um trabalho conjunto na “reorganização da rede e evitar a duplicação das ofertas do ensino superior”.

“Ontem foi um dia bom para o ensino superior porque chegamos a uma boa solução”, salientou.

O pavilhão desportivo de Pedras Salgadas, que representa um investimento de 1.6 milhões de euros, está inserido na Escola Básica Integrada, onde estudam cerca de 420 alunos.

Nuno Crato salientou a importância da prática desportiva na formação dos estudantes.

O ministro sublinhou a coloração entre os autarcas e as escolas, referindo que é desta colaboração que “resultam as boas obras”, porque “são obras viradas para a partilha, para a melhor utilização dos recursos”.

“Que sejam recursos sobretudo que traduzam o empenho de todos em fazer da educação o grande motor do desenvolvimento no nosso país”, afirmou.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Anti Spam * * Tempo esgotado. Por favor recarregue o CAPCHA.