Não queria abordar já temática de cariz político, mas estando a acabar mais um ano e com as diatribes a que vimos assistindo ultimamente, não quis deixar passar em claro as recentes afirmações do Dr. Mota Amaral.

O ano parece acabar pior do que, apesar de tudo, se esperava. Parece que as pessoas em geral e os políticos em especial, entraram em paranóia. O mesmo se passa com diferentes entidades, de diferentes quadrantes. Para citar apenas uma dessas situações, abordemos as declarações de um deputado considerado “ilustre” que dá pelo nome de Mota Amaral.

Colocando de lado todas as mordomias que a Assembleia da República decidiu conceder-lhe, (como por exemplo, carro e motorista privado), bem podia ter abdicado disso, não só face às dificuldades financeiras que o País atravessa, mas também porque não exerce qualquer cargo que a isso obrigasse. Não o fez, porém e fica-lhe mal! Agora vem este senhor, não se sabe se padecendo do “vírus” que atacou o Dr. Mário Soares, dizer o seguinte: “A situação geral do País, em vez de melhorar como o governo promete e todos desejaríamos, tem vindo a degradar-se e basta ter os olhos abertos para comprovar o alastramento de uma verdadeira catástrofe”.

Isto publicado num artigo de opinião de um jornal da ilha que o viu nascer, que intitulou de “Orçamento de Estado 2013- a prova de fogo”! Mais afirma que “O enorme aumento de impostos vai reduzir os contribuintes à insolvência, fazer muitas empresas falir e aumentar o desemprego”… Considera ainda que o governo errou ao ir “para além da Troika”… Por outras palavras: o governo é mentiroso e por isso não é digno de crédito.

Concordo com muito do que é afirmado, que de resto vem sendo afirmado por tantos, desde há tanto tempo, que se tornou axiomático; discordo em absoluto apenas por que provem de alguém que, nesta altura, ou apresentava soluções alternativas às do governo que ele deveria apoiar, ou deveria estar calado, para não gerar mais desalento nos seus concidadãos.

Tem uma solução: candidate-se, de novo a presidente do governo açoriano e tenha a coragem, se eleito, de fazer aquilo que o Alberto João desde há muito ameaça, mas ainda não concretizou!

Que o Novo Ano traga à ribalta políticos rejuvenescidos e não carentes de protagonismo!

DG

Opinião Global**Por Dominick George**12/01/2013
dominick.george@ipressglobal.com |

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Anti Spam * * Tempo esgotado. Por favor recarregue o CAPCHA.