A intervenção da Troika em Portugal resultou apenas em desgraça. A falta de ação em relação à fragilidade do sistema bancário resultou nas sucessivas tragédias a que se vão somando cada vez mais bancos.

Não se souberam identificar os reais problemas da banco portuguesa e a prova disso é precisamente o facto de nem sequer ter sido usado metade do dinheiro, emprestado pela Troika, para a recapitalização da banca.

A má gestão dos privados na banca está à vista, O caso BPN, BPP, Milénio, Banif e recentemente o Montepio, ainda longe de estar resolvido, são provas disso mesmo, As soluções encontradas pelos sucessivos governos não têm sido as melhores e agora mais uma decisão “arrumada”, a do Novo Banco. Não é possível “arrumar” uma situação onde já foram gastos 13 mil milhões de euros e onde vão ser enterrados mais 11 mil milhões através do Novo Banco, Está a situação arrumada?

E o que dizer da CGD, onde a sua recapitalização irá passar pelo pagamento de juros de quase 11%?

As soluções que têm sido encontradas passam sempre com “o melhor possível’, ‘aceitáveis na medida do possível’ e não é isso que se quer, essas opções não têm servido os interesses dos portugueses que não se podem contentar com “soluções menos más”, Cada vez mais penhorados temos de exigir todas as explicações sobre a melhor resolução encontrada, uma vez que já percebemos que não é possível confiar nas situações encontradas pelos vários governos com aprovação com o PR e BdP.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Anti Spam * * Tempo esgotado. Por favor recarregue o CAPCHA.