Um empresário de 57 anos de Birigui (525 km de São Paulo – Brasil) investigou durante sete anos e conseguiu a prisão do suspeito de violar a sua filha de 17 anos, em 2005. Alexandre Oliveira, 34 anos, foi preso no último dia 18 de outubro pela Interpol  em Lisboa e aguarda extradição para o Brasil. A prisão foi confirmada pela Justiça de Birigui, de onde partiu o mandado.

O caso chegou a ser arquivado pela polícia brasileira por falta de provas, mas o empresário conseguiu a reabertura do processo. Ele fez campanhas em redes sociais divulgando a foto do acusado e chegou a pagar a um informador em Lisboa. O empresário disse que investiu “tudo o que estava ao alcance” para conseguir identificar, localizar e fazer com que a Interpol prendesse o acusado.

O crime aconteceu em junho de 2005. A filha do empresário estava com o namorado  no carro, numa das principais avenidas de Birigui, quando foram surpreendidos por dois homens armados.

A jovem entregou a carteira e o dinheiro. Mesmo com os pertences, os ladrões obrigaram o casal a seguir para uma rua próxima sem movimento, onde a adolescente foi violada na presença do namorado, que, sob ameaça, foi obrigado a assistir à violação.

Inconformado com o arquivamento do processo, o pai passou a investigar por conta própria e conseguiu descobrir que Oliveira tinha-se mudado para Portugal, mas deixado um filho em Birigui.

A criança foi localizada, e, com a possibilidade de novas provas, o advogado pediu a retomada das investigações.

A mãe da criança autorizou o filho do acusado a ceder material para o exame de DNA, quando se comprovou que o esperma deixado na jovem era de Oliveira. Com o resultado, em 2010, a Justiça expediu mandado de prisão preventiva, com validade até 2042.

Avisado sobre o mandado, Oliveira mudava constantemente de residência em Lisboa, o que dificultou sua detenção. Por meio de um informador, a família descobriu onde Oliveira trabalhava, que estava casado e que era pai de outro filho em Portugal.

O advogado do empresário comunicou as descobertas ao Ministério Público brasileiro e à Justiça de Birigui, que acionaram a Interpol em Brasília. Oliveira foi preso pouco tempo depois, no local de trabalho.

No Brasil, o acusado responderá pelos crimes de roubo e violação. Ainda não há informação se o suspeito constituiu defesa em Portugal ou no Brasil.

O empresário diz que agora só espera que a Justiça faça justiça. “Levantar as provas e investir dinheiro foi fácil. Difícil mesmo foi o que esse individuo fez com a minha família. Agora só espero que esse sujeito pague pelo que fez.”

 

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Anti Spam * * Tempo esgotado. Por favor recarregue o CAPCHA.