A Chapecoense repudiou esta quarta-feira o cântico entoado pela claque do FC Porto no jogo de andebol com o Benfica, considerando “vergonhosa e ofensiva” a referência ao acidente aéreo que vitimou 71 pessoas.

 Em comunicado, o clube brasileiro manifestou o seu profundo pesar pela “referência vergonhosa e ofensiva ao acidente do voo da Chapecoense” e pelo “desrespeito à memória dos mortos e do clube”.

“Tais factos não são próprios de pessoas de bem e do meio desportivo, cujo ambiente deve ser sempre de respeito e solidariedade ao adversário e não de propagação de ódio e discórdias, principalmente nos conturbados tempos atuais da humanidade”, pode ler-se na nota publicada na página oficial da equipa de futebol brasileira.

A nota prossegue lembrando que, em qualquer disputa no campo desportivo, a ética e a solidariedade humana devem-se sobrepor.

“Por fim, a Chapecoense instiga os seus clubes irmãos de Portugal e de todo o mundo para que disseminem harmonia, respeito e concórdia nas relações desportivas”, conclui o comunicado.

Na quarta-feira, no Dragão, no clássico de andebol entre Porto e Benfica, a claque portista foi filmada a cantar “Ai quem me dera que o avião da Chapecoense fosse do Benfica”.

Os cânticos reportavam-se ao acidente sofrido pela equipa de futebol brasileira a 28 de novembro, quando esta viajava para disputar a primeira mão da Taça sul-americana, na Colômbia, e que causou a morte de 71 pessoas.

// Lusa

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Anti Spam * * Tempo esgotado. Por favor recarregue o CAPCHA.