Lisboa, 28 out (Lusa) – Trezentos e trinta cidadãos portugueses foram detidos no ano passado no estrangeiro, com o tráfico de droga a liderar os motivos das detenções, revela o Relatório da Emigração 2014 hoje divulgado pelo Governo.

A maioria dos casos registou-se em França (84 detidos), seguindo-se o Reino Unido (53) e Espanha (42). O documento do executivo destaca o caso da Turquia, onde, “no espaço de dois anos, se registou o maior número de ocorrências de sempre naquele país (5 em 2013 e 5 em 2014, todos por tráfico de droga)”.

No ano passado, 141 pessoas foram detidas devido a tráfico de droga, mas as autoridades não comunicaram os motivos de detenção de 136 pessoas. O roubo motivou a prisão de 28 pessoas, enquanto 14 portugueses foram detidos na sequência de agressões. A permanência ilegal foi a razão da detenção de duas pessoas, tal como os delitos rodoviários.

No final de 2014, 271 portugueses ainda se encontravam detidos, enquanto 55 haviam sido libertados e quatro estavam em liberdade condicional.

Entre os detidos, a grande maioria (298) é homem, registando-se 32 mulheres detidas.

O relatório do Governo ressalva que os dados relativos às detenções de portugueses “nem sempre traduzem com a desejada exatidão a realidade da população prisional portuguesa no estrangeiro, mas são sem dúvida representativos da dimensão aproximada da mesma”.

Na maior parte dos casos, “os serviços do Ministério dos Negócios Estrangeiros apenas tomam conhecimento das detenções quando é solicitado apoio consular”, acrescenta o documento.

O relatório revela ainda que em 2014 “foram deportados/expulsos/afastados 302 cidadãos portugueses”, mais de metade dos quais do Canadá (160).

Segue-se o Reino Unido (72) e Estados Unidos (49). A Alemanha e a França expulsaram, respetivamente, quatro cidadãos nacionais, e a Venezuela três. De Espanha foram afastados dois portugueses e a Estónia, Países Baixos, Suíça, Rússia, Argentina, Turquia, Emirados Árabes e Moçambique expulsaram um cidadão.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.