Fala-se da passividade do povo português que não reage aos desmandos cometidos por sucessivos governos, que o têm estado a condenar a um estado de verdadeira miséria. Mas o que dizer do povo, a nível quase global, que aceita sem pestanejar, até com elogios da parte de muitos, aquilo que provém das diversas religiões, cultos ou seitas?

Poderíamos referir inúmeros casos de anomalias ocorridas em diversas partes do mundo, sejam as cometidas no seio dos seguidores de Maomé, do bispo brasileiro ou, a mais recente, do papa. É o próprio que refere não ter conseguido meter na ordem a cúria romana, que o enganava a todo o momento, ocultando dele aquilo que não convinha dar-lhe a conhecer! E as inúmeras polémicas em que se viu envolvido? E as faltas de memória? Se elas algumas vez seriam perdoadas a um dirigente político. E não será o papa, um chefe de estado?

bento21Não constituirá tudo isto a classificação dada pelos católicos de “pecado mortal”? Com a responsabilidade que a igreja assumiu, a nível mundial, ao dizer-se representante de Deus na Terra, sem que alguma vez, não obstante, tenha exibido qualquer procuração, ainda que não apostilada, não compreendemos que possam cometer os erros que vêm cometendo, sem que assumam as respetivas consequências. Aos políticos exige-se que se demitam. E ao clero, por que “te callas, pueblo”?

Até onde chegará a igreja católica, que agora se arroga o direito de associar o raio resultante de uma trovoada sobre a cúpula da basílica de S. Pedro, à resignação papal? Por que não estabelece idêntico paralelismo quando morrem milhares de seres humanos em Itália ou noutros países, resultantes de intempéries ou tremores de terra?

Ou mesmo aqui ao pé da porta, estabelecer o paralelismo entre a morte do pároco Alípio da Silva Lima, de Vila Nova de Anha, concelho de Viana do Castelo, que foi encontrado em paragem cardiorrespiratória e a chantagem de que era objeto no caso que manteve com prostitutas? Que mais poderá acontecer na igreja católica até que os crentes abram os olhos e a mente e desmascarem todas estas patranhas!

quarta por DG

Opinião Global**Por Dominick George**13/02/2013
dominick.george@ipressglobal.com |

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui