Ainda que eu queira deixar de me referir a estes temas, a reação que certas notícias me causam, não o permite. Acabo de ler uma,  publicada no “Expresso online” de hoje (30 de Maio) com um título elucidativo: “Chantagista de padre madeirense condenado”.

Um cidadão cubano, de nome Alonso Gonzalez, dançarino de profissão (este também será, simultaneamente, velhaco), o qual terá extorquido 45.000 €uros ao padre Humberto Vasconcelos, quando pároco de São Vicente, pequena localidade da ilha da Madeira. Segundo os factos provados no julgamento que teve lugar no Tribunal de Vara Mista do Funchal, o padre e o dançarino foram amantes entre 2005 e 2007 e, quando aquele pretendeu acabar com a relação, o cubano começou a extorquir-lhe dinheiro, dizendo ir publicar fotografias comprometedoras… Quando a verba atingiu aquele supra citado montante, o padre decidiu denunciar o crime.

A condenação agora proferida em audiência de julgamento, aplicou 4 anos de prisão ao arguido, que ficou suspensa desde que ele devolva os 45.000 €uros e indemnize o pároco na quantia de 4.000 €uros. Desde que a audiência teve início, em 9 de Maio corrente, o padre deixou de dar missa. ..

Penso eu que isso se deveu à vergonha por que estava a passar, quando a descrição explícita de factos desta índole é feita com o público presente. Por outro lado eu pasmo quando penso que os paroquianos em São Vicente devem ter sido drogados para aceitarem os ensinamentos divinos postos à sua disposição por um homossexual desta estirpe!

Por outro lado estou certo que o padre em referência passará a dar aos pobres da paróquia as quantias que irá receber, pois irá chegar à conclusão que mais vale fazer isso do que “alimentar” um cubano que caiu na Madeira, sabe-se lá porquê!

Ele padre, devia era ter sido igualmente julgado, mas de preferência pelo mesmo Tribunal que, segundo sentença arquivada na Torre do Tombo, condenou um seu colega a ser arrastado por cavalo pelas ruas da terra. Essa sentença só não foi executada em virtude de o rei o ter mandado para o Brasil, onde ele multiplicasse a espécie, como havia feito cá. Assim foi aumentada substancialmente a população da Baía!

Esta é a igreja que ainda temos! Até quando? Que Deus nos acuda e nos livre destes “pecadores”!

DG cronica do crime

Opinião Global**Por Dominick George**30/05/2013
dominick.george@ipressglobal.com |

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.