As províncias angolanas do Cunene (sul), Uíge e Malange (norte), são actualmente as que apresentam mais casos de cólera, potenciados pela época de chuvas em curso, com 213 casos desde o início do ano, disse hoje à Lusa fonte sanitária.

Segundo o epidemiologista Eusébio Manuel, de entre aqueles 213 casos, foram registados três óbitos, todos na província de Malange.
A província de Luanda registou nas duas primeiras semanas deste ano apenas quatro casos.

A cólera em Angola tem vindo progressivamente a diminuir desde a epidemia de 2006, que então provocou 2.773 mortos entre os 69.476 casos registados.

A queda acentuou-se no período 2007-2010, quando passou dos 18.390 casos para 1955, com o número de óbitos a decair dos 515, registados em 2007, para 45, em 2010.

Em 2011, o número de vítimas voltou a aumentar e os óbitos dispararam: 183 mortos em 2.296 casos, tendo-se registado uma ligeira descida em 2012, que apresentou 135 óbitos entre os 2.198 casos confirmados.

A taxa de mortalidade da cólera em 2012 foi de 6 por cento, inferior à do ano anterior, que foi de 8 por cento.

NOTICIA ANGONOTICIAS
COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui