Na passada sexta-feira foi votada no parlamento a adoção por casais do mesmo sexo. O resultado revelou a sua aprovação e a nítida divisão da bancada da direita.

Depois de três tentativas falhadas na anterior legislatura, devido a maioria PSD e CDS, a Assembleia da República aprovou esta sexta-feira a eliminação dos obstáculos legais à adoção de crianças por casais do mesmo sexo. O debate  sobre o tema realizou-se na um pouco antes da votação. A discussão foi “moderada” registando-se apenas a intervenção mais conservadora do deputado do CDS, Filipe Anacoreta Correia que afirmou que uma criança “nasce biologicamente do masculino e do feminino“, e que “é na complementaridade do feminino e do masculino que nós nos afirmamos socialmente“.

Uma outra intervenção que agitou um pouco a Assembleia veio da esquerda, com a intervenção da deputada do PEV. Heloísa Apolónia que criticou o PSD e o CDS que pelas voz dos deputados invocado demasiadas vezes “o superior interesse da criança“, na tomada de decisão.

Foi assim aprovada a adoção por casais do mesmo sexo, com a esquerda unida, e com o apoio de 19 deputados da direita.

O resultado da votação foi recebido com uma salva de palmas pelas dezenas de ativistas gays que estavam presentes nas galerias do Parlamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui