- Pub -

Astrofísicos do Observatório da Academia das Ciências da Rússia, em Nizhny Arhiz, registraram um sinal muito estranho, proveniente do sistema estelar HD 164595, na constelação de Hércules, que pode ser um indício de actividade alienígena inteligente, revela o astrónomo Paul Gilster.

O astrónomo Paul Gilster, escritor e editor do site de divulgação científica Centauri Dreams, revelou este sábado que o radiotelescópio russo RATAN-600 registou, há cerca de um ano, a 15 de maio de 2015, um sinal proveniente de fora da Terra num comprimento de onda de 2,7 centímetros.

O sinal foi captado uma única vez, e tinha um brilho 8 a 10 vezes mais intenso do que a Lua ou um pulsar típico.

Desde então, o sinal não se repetiu.

No fim da semana passada, cientistas do Observatório de Astrofísica da Academia das Ciências da Rússia, SAO, decidiram partilhar a descoberta com o mundo científico, enviando cartas as astrónomos de todo o mundo.

Segundo a agência russa Sputnik News, uma destas cartas chegou a Paul Gilster, que decidiu dar a conhecer a descoberta ao mundo.

They’re not saying it’s aliens, but signal traced to sunlike star sparks SETI interest http://buff.ly/2bwR8fF 

A estrela de onde o sinal detectado é proveniente, HD 164595, é semelhante ao Sol, mas fica a uma distância de 95 anos-luz da Terra.

Os astrónomos do SAO identificaram também um planeta próximo da HD 164595, com uma massa 16 vezes maior do que a da Terra – um “Neptuno quente” – e cuja órbita em torno da sua estrela é de 40 dias.

A descoberta foi recebida com alguma cautela por parte do SETI, o famoso Instituto de Pesquisa de Inteligência Extraterrestre que há 40 anos vigia as estrelas à procura de sinais de vida extra-terrestre.

Segundo Seth Shostak, astrónomo sénior do SETI, a dúvida principal é a potência do sinal recebido.

Por um lado, o sinal é fraco, mas para ser detectado a 95 anos luz de distância necessitaria de uma fonte de energia incomensurável – excepto se fosse um sinal direccionado especificamente para a Terra, que precisaria de menos energia.

Só uma civilização alienígena poderia ter produzido tal sinal, acreditam os cientistas, mas tal seria estranho “eles” entrarem em contacto, porque não devem ter recebido nenhuma transmissão de rádio ou sinal de radar da Terra.

O professor Eric Korpela, cientista do projecto Seti@Home, realça que sinais como o anunciado pelos astrónomos russos são bastante comuns e que, na largura de banda captada pelo RATAN-600, não há forma de distinguir com clareza a fonte do sinal.

Os próprios autores da descoberta acham que é bastante improvável que este seja um sinal de vida inteligente, mas que mesmo assim se trata de um sinal interessante.

O que não explica por que fizeram segredo do sinal durante tanto tempo, numa clara quebra do protocolo da comunidade científica.

Apesar de a vida neste planeta ser pouco provável, duas equipas de astrónomos do SETI iniciaram esta segunda-feira a observação constante da estrela HD 164595.

A descoberta deste sinal vai ser o tema principal da agenda da reunião do Conselho permanente do SETI, que tem lugar no dia 27 de setembro no México, e durante a qual astrónomos e cientistas de todo o mundo vão tentar perceber se o ET telefonou para a Terra.

AJB, ZAP

- Pub -

Deixe o seu comentário