Numa altura em que o Bairro Alto, em Lisboa, celebra 500 anos, moradores e junta de freguesia são unânimes em pedir legislação nacional que proíba o consumo de álcool na rua, habitual naquela zona histórica.

Numa sexta-feira à noite, das mais frias deste outono, passa da meia-noite. No Bairro Alto, cada vez mais jovens se juntam de copo na mão à porta de vários bares, apesar de os espaços não estarem cheios.

Esta é a imagem habitual do bairro quando a hora vai avançada: a noite passa enquanto se consome álcool na rua. A maioria dos copos são de plástico, a bebida é normalmente cerveja e não custa mais de um euro. Nos bares há promoções para um litro de caipirinha ou meio de sangria e há também quem traga de casa a sua própria ‘litrosa’ ou quem a compre numa loja de conveniência do bairro.

A noite avança, a multidão cresce e, com ela, o barulho. A PSP diz que recebe “centenas de queixas de ruído” de moradores do Bairro Alto.

Lusa/Foto:MARIO CRUZ/LUSA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui