foto : José Sena Goulão / Lusa

Como sempre, o mercado de transferências é uma altura bastante aguardada pelas equipas, que aproveitam a oportunidade para reforçar os seus plantéis ou então para conseguir grandes encaixes financeiros. SL Benfica e FC Porto entram neste último capítulo, já que foram das equipas que mais venderam neste defeso.

De acordo com os dados do Transfermarkt, a listagem é liderada pelo Atlético de Madrid, que apesar de ter feito a sonante contratação de João Félix, conseguiu vendas estrondosas. Os “colchoneros” fizeram mais de 310 milhões de euros, com as vendas de jogadores como Antoine Griezmann, Lucas Hernández, Rodri, Gelson Martins, Luciano Vietto e Bernard Mensah.

A primeira surpresa surge logo no segundo lugar. Depois de uma incrível época desportiva, o Ajax também conseguiu encher os bolsos. O emblema holandês fez 205 milhões de euros em receitas, principalmente graças às vendas de Matthijs de Ligt, Frenkie de Jong e Kasper Dolberg.

O pódio é completado pela Juventus, que com uma série de vendas estratégicas, conseguiu fazer pouco mais de 200 milhões de euros. O português João Cancelo, que rumou para o City, foi a maior venda da Vecchia Signora. As transferências de Spinazzola, Moise Kean, Audero, Sturaro e Orsolini ajudaram igualmente as contas dos italianos.

Félix foi dois terços das receitas

Benfica surge logo de seguida, assumindo-se como o quarto clube mais vendedor deste mercado. Os “encarnados” bem podem agradecer à venda de João Félix por 126 milhões de euros, que sozinha perfaz praticamente dois terços dos ganhos benfiquistas. O emblema da Luz conseguiu um encaixe financeiro de 188,5 milhões, tendo vendido ainda Raúl Jiménez, André Carrillo, Luka Jovic e Eduardo Salvio.

Para encontrarmos uma nova equipa portuguesa é preciso andar um pouco mais para baixo. No 15º posto surge o FC Porto, com 89 milhões de euros arrecadados em vendas. Os “azuis e brancos” disseram adeus a Éder Militão, Felipe, Óliver Torres, Galeno e José Sá. Militão foi, sem dúvida, a joia da coroa ao ser vendido por 50 milhões ao Real Madrid.

Sporting CP, que ficou fora do ranking, foi o 40º clube mais vendedor, com uma receita de cerca de 48 milhões de euros. As vendas de Raphinha e Thierry Correia já nas últimas 24 horas de mercado foram cruciais — a juntar às transferências de Bas Dost, Jonathan Silva, Domingos Duarte e Iuri Medeiros.

SC Braga surge num humilde 72º lugar, com os minhotos a assegurarem um encaixa de 26,5 milhões de euros. Considerado o quarto “grande” de Portugal, o Braga vendeu Pedro Neto, Mamadou Loum, Dyego Sousa, Bruno Jordão e Marko Bakic.

Dentro da listagem, destaque para o Lille, que foi o sexto clube que mais receitas obteve neste defeso. As vendas de Nicolas Pépé, Rafael Leão, Thiago Mendes, El Ghazi e Koné foram decisivas para o emblema que terminou no segundo posto do campeonato francês.

Lyon, Hoffenheim, Eintracht Frankfurt, Leicester City e Red Bull Salzburgo conseguiram também destacar-se entre os “tubarões” do futebol europeu.

Europa domina, mas há exceções

Numa lista em que a esmagadora maioria dos emblemas que mais vendem são europeus, o Santos destaca-se como a exceção. O emblema canarinho surge logo abaixo do Sporting, com receitas a rondar os 47 milhões de euros. Aliás, os sul-americanos bem podem agradecer à venda de Rodrygo ao Real Madrid, por 45 milhões de euros.

Conhecido por ter sido a casa onde se formou Neymar, o Santos tem vindo a assumir-se como uma potência formadora de talentos. Rodrygo é apenas mais um exemplo, que apesar de ainda não ter feito qualquer jogo oficial ao serviço dos madrilenos, será uma aposta certa para o futuro.

Boca Juniors (52º) e CF América (61º) são os outros emblemas que se destacam da América Latina. Para vermos outro continente é necessário descer até um remoto 117º lugar para encontrar o Al Ahli, da Arábia Saudita. O clube treinado por Branko Ivankovic fez apenas 11 milhões em vendas.

DC, ZAP //

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui