A Benfica SAD atingiu um resultado consolidado positivo de 7,3 milhões de euros (ME) no final do terceiro trimestre da época 2012/2013, o que corresponde a um crescimento de 190,4% face aos 2,5 ME do período homólogo anterior.

A informação foi fornecida hoje pelo clube da Luz no relatório intercalar de gestão do terceiro trimestre 2012/2013 enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O resultado líquido consolidado da Benfica SAD incorpora, além da Benfica Estádio, os resultados das participações financeiras das suas entidades associadas, a Benfica TV, a Clínica do SLB e o Benfica Stars Fund.

Para o desempenho das contas dos encarnados contribuíram “os ganhos obtidos com as transferências dos atletas Witsel e Javi Garcia” concretizadas no início deste exercício económico, que “justificam um resultado com atletas que ascende a 19,1 milhões de euros e que compara com os 3,9 milhões de euros apresentados no período homólogo do ano passado”.

O documento hoje entregue na CMVM indica que o resultado operacional consolidado da Benfica SAD “supera os 20 milhões de euros, o que representa uma variação positiva de 37,1% face ao período homólogo, no qual este resultado correspondeu a 14,6 milhões de euros”.

“No período homólogo do ano passado, apesar da relevância dos resultados gerados com a venda de atletas, o facto de se ter atingido os quartos-de-final da Liga dos Campeões teve uma importância significativa nos resultados operacionais obtidos”, esclarece o clube.

Os proveitos operacionais consolidados recuaram 15,1%, totalizando 63,5 milhões de euros, uma variação que é justificada com a “diminuição das rubricas de prémios UEFA, receitas de bilheteira e quotizações”, neste último caso devido ao aumento da taxa de IVA de seis para 23 por cento.

A rubrica de prémios UEFA continua a ser a principal fonte de receita operacional da Benfica SAD, correspondendo a cerca de 15,4 ME no presente período. A diminuição verificada face aos valores acumulados do trimestre homólogo é essencialmente justificada pela presença nos oitavos e quartos-de-final da Liga dos Campeões de 2011/2012, o que proporcionou prémios no valor de 4,65 milhões de euros”, refere o documento.

Já a diminuição das receitas de bilheteira “é essencialmente justificada pela redução das receitas provenientes dos jogos da Liga dos Campeões, que passaram de 5,4 para 2,2 ME”.

Os resultados com atletas ascenderam a 19,1 ME, o que corresponde a “um aumento de 388,8% quando comparado com os 3,9 ME alcançados no terceiro trimestre de 2011/2012”.

Os proveitos com atletas correspondem a 47,1 ME, o que equivale a um crescimento de 83,5% face ao valor de 25,7 ME alcançado no período homólogo, para o que contribui as transferências de Witsel e Javi Garcia.

No final do terceiro trimestre, o Benfica continuava a disputar o campeonato, a Liga Europa e a Taça de Portugal e tinha “um ativo consolidado, a 31 de março de 2013, de 397,1 ME, o que representa uma diminuição de 3,6% face ao final do exercício anterior”.

Quanto ao passivo consolidado, a Benfica SAD diz ascender a “cerca de 403,9 milhões de euros, tendo-se verificado uma redução superior a 22,2 milhões de euros face ao valor apresentado a 30 de junho de 2012”

Refere ainda a SAD que “os capitais próprios consolidados a 31 de março de 2013 registam uma melhoria de 7,4 milhões de euros face ao final do exercício anterior”.

LUSA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui