Bolsas para Portugal concedidas ao abrigo do programa Ciência Sem Fronteiras foram canceladas em Abril. Cerca de sete mil estudantes brasileiros que tinham escolhido Portugal para fazer parte dos seus estudos superiores foram já redirecionados a outros países depois de o Governo brasileiro ter anunciado, no dia 24 de Abril, o cancelamento das bolsas para Portugal concedidas no âmbito do programa Ciências Sem Fronteiras.

Os resultados para a atribuição de bolsas para este semestre foram divulgados dias depois e as oito listas com os nomes dos estudantes que deveriam chegar a Portugal em Junho aparecerem já com a indicação do país para onde seguirão em alternativa.

O ministro brasileiro da Educação, Aloizio Mercadante, justificou o cancelamento das bolsas para Portugal com a necessidade de os estudantes brasileiros aprenderem outro idioma. “Os estudantes têm que enfrentar o desafio da segunda língua. Por isso todos foram convidados a migrar para outros países”, disse.

Portugal tem sido o principal destino dos estudantes brasileiros com bolsas do programa Ciência sem Fronteiras. No final de 2012, do total de 12.193 alunos incluídos no programa, praticamente 20% optou por fazer um semestre em Portugal. Em Abril, ao abrigo do mesmo programa, foram aprovadas bolsas para mais 12.282 estudantes, entre os quais figuram os cerca de sete mil (contagem do PÚBLICO com base nas listagens publicadas no site do programa) que inicialmente tinham escolhido Portugal.

Em resposta às questões postas, o gabinete de comunicação do Ministério da Educação e Ciência garantiu que “o Governo português está em contacto com o Governo brasileiro sobre o futuro do Ciências Sem Fronteiras e de outros programas”.

Em Março, quando visitou Portugal, Mercadante garantiu, em conferência de imprensa, que o Brasil continuava interessado nas universidades portugueses. Também em Março o ministro da Educação português, Nuno Crato, visitou o Brasil, acompanhado por responsáveis de muitas das universidades e politécnicos portugueses, tendo sido celebrados vários acordos de cooperação. Em 2012 o Conselho Coordenador dos Institutos Politécnicos Portugueses celebrou um acordo com o Governo brasileiro que previa que, em três anos, viessem estudar nestas escolas 4500 estudantes com bolsas precisamente do Ciências Sem Fronteiras.

Segundo o MEC, neste momento há sete mil estudantes brasileiros no ensino superior português , dos quais menos de três mil estão ao abrigo daquele programa, lançado pela Presidente do Brasil, Dilma Rousseff.

NOTICIA PUBLICO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui