“Todos os  setores estão a preparar-se para o Mundial de Futebol 2014, não tem por que ser diferente para as profissionais do sexo”, afirma Cida Vieira, presidente da Associação das Prostitutas de Minas Gerais (Aprosmig).

Cida é a responsável por organizar o curso que tem como público alvo mais de 300 prostitutas e travestis, onde vão ser oferecidas aulas de capacitação geral e línguas.

A parceria com o empresário Elias Tergilene, dono de uma rede de centros comerciais populares próximo da sede da Aprosmig, em Belo Horizonte, permitiu uma maior infraestrutura para as aulas. “Vamos ter várias salas dentro da fundação, com aulas de vídeo e som”, conta, orgulhosa, Cida, que é prostituta há mais de 20 anos.

Os professores, todos voluntários formados na área de línguas, vão ensinar inglês, português, espanhol, italiano e francês todos os dias. Cada grupo terá aulas durante uma hora e meia uma vez por semana, de acordo com a disponibilidade do professor.

“Antes não estava certo, mas agora conseguimos acordar aulas de EJA (Ensino para Jovens e Adultos), também”, diz a presidente da Aprosmig. A ideia, segundo Cida, é que as prostitutas e travestis estejam capacitadas “não só no trabalho, mas também como guias turísticas”. As aulas decorrem até ao Mundial.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.