O presidente da Casa de Moçambique, Enoque João, disse à Lusa que os moçambicanos em Portugal são uma comunidade integrada, mas defende melhores políticas de vistos de entrada no país.

Lisboa, 29 jun (Lusa) – O presidente da Casa de Moçambique, Enoque João, disse à Lusa que os moçambicanos em Portugal são uma comunidade integrada, mas defende melhores políticas de vistos de entrada no país.

“Há uma questão que neste momento me preocupa, que é a dualidade de critérios na atribuição dos vistos de Moçambique para Portugal. Os nossos dirigentes dizem que os nossos países são irmãos mas o que os nossos ministros dizem os mais pequenos desfazem e esta é uma circunstância frequente”, disse à Lusa o presidente da Casa de Moçambique em Portugal, instituição com mais de três mil associados, com sede em Lisboa.

Como exemplo, Enoque João, referiu que parte dos artistas moçambicanos que deviam ter estado presentes na semana cultural moçambicana, que terminou sexta-feira em Lisboa, não conseguiu vistos de entrada em Portugal.

“Das 25 pessoas que deviam estar presentes na semana cultural moçambicana em Lisboa, cinco músicos não tiveram vistos e lá se perdeu o dinheiro do avião”, disse Enoque João, sublinhando que a questão dos atrasos nas emissões de vistos de entrada em Portugal é “infelizmente” uma situação que se verifica com frequência.

Lusa / FOTO:JOSE LUIS COSTA/LUSA

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.