foto: Paulo Vaz Henriques / Portugal.gov.pt //

O ministro das Finanças, Mário Centeno, prevê que o investimento continue a crescer em 2017, e considera que a economia portuguesa “está dotada de sólidos alicerces” para garantir um crescimento económico sustentado.

 “Temos uma economia mais sólida. O investimento cresceu no final de 2016 acima dos 3%, reforço que é fundamental para prosseguirmos em 2017 um crescimento sustentável”, indicou o ministro das Finanças numa mensagem enviada ao Fórum Empresarial do Algarve, que decorre em Vilamoura, no Algarve.

Na mensagem lida pelo secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, o titular da pasta das Finanças justificou a sua ausência no encerramento no Fórum Empresarial com “um impedimento de última hora”.

De acordo com o governante, a economia portuguesa “cresceu acima das estimativas existentes”, registando um valor de 1,9% entre Dezembro de 2015 e o mesmo mês de 2016.

“Resulta na maior taxa de variação homóloga de crescimento desde o segundo trimestre de 2010”, sublinhou.

Mário Centeno justificou a evolução registada no final do ano passado, com o apoio de “iniciativas concretas, como os programas Capitalizar, o Semente ou o Indústria 4.0, que estão ao serviço das empresas e da economia”, prevendo um contributo crescente do programa Portugal 2020.

O governante destacou também “a importância que o Governo coloca na internacionalização da economia”, indicando que as exportações tiveram um crescimento superior a 10% no final de 2016, devido ao empenho das empresas portuguesas”.

Na mensagem, Mário Centeno lembrou que “empresas mais sólidas e competitivas, são geradoras de emprego”, indicando que o desemprego caiu 14,3% em 2016 registando-se um aumento de 82 mil empregos no final do mesmo ano”.

“Corresponde a uma redução de 90 mil desempregados face ao final de 2015″, acentuou o ministro das Finanças, frisando que “são tendências para manter em 2017”.

Mário Centeno sublinhou que “todos os sucessos do país, que muitos tardam em aceitar e reconhecer”, devem-se a um trabalho que não se esgotou em 2016, sendo os resultados um meio para acumular credibilidade e capacidade de alcançar “os objectivos exigentes“, em 2017.

“Portugal vai, finalmente, sair do procedimento por défice excessivo, o que permitirá reforçar a confiança na nossa economia, tanto a nível nacional com o internacional e reforçar a nossa capacidade de investir em reformas que aumentem a nossa competitividade”, conclui a mensagem de Mário Centeno enviada aos empresários reunidos no Algarve.

// Lusa

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui