Na passada quinta-feira, chegaram ao aeroporto da Portela os primeiros 24 refugiados que Portugal recebe ao abrigo do programa estabelecido na União Europeia.

O primeiro grupo a chegar ao país, era constituído por 10 elementos provenientes da Eritreia e da Síria, sendo que até ao momento da sua partida estavam no centro de acolhimento de Itália.

Um segundo grupo, chegou no final do mesmo dia, mas apenas 14 dos 15 refugiados esperados embarcaram. Estes foram recebidos pelo secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, e pela secretária de Estado da Igualdade, Catarina Marcelino. Para além da Eritreia e Síria, neste segundo grupo existiam ainda pessoas oriundas do Sudão, Iraque, e Tunísia. Os 24 refugiados foram distribuídos por diversos centros espalhados no país, em locais como Penafiel, Lisboa, Torres Vedras, Cacém, Marinha Grande e Alfeizerão.

Sobre estes refugiados pouco se sabe, segundo Eduardo Cabrita “Por uma questão de respeito pelos direitos humanos e pela privacidade de cidadãos que provêm de territórios em guerra e que foram vítimas de situações traumáticas”.

O processo de acolhimentos destas 24 pessoas prossegue agora, e segundo Constança Urbano de Sousa, estes terão os apoios sociais previstos na lei, como o direito à habitação, acesso a cuidados de saúde e a escola para os filhos. A todos eles será concedido a autorização de residência facilitando a inserção no mercado de trabalho.

Por agora, não existem ainda informações concretas sofre a possibilidade de que em breve, novos refugiados possam chegar a Portugal.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.