“Tenho sido bem recebido”, afirmou o ciclista da União Ciclista de Sobrado/OFM Quinta da Lixa.

O ciclista João Matias cumpriu em três etapas 600 dos mais de 1.000 quilómetros do percurso, por várias regiões do país, para promover o termalismo e o certame do setor que vai decorrer em Paços de Ferreira. A volta começou na terça-feira, na estância termal do Estoril, na região de Lisboa, e chegou na quinta-feira às Termas do Gerês, norte do país.

Nas três etapas já cumpridas, em direção ao norte, o ciclista passou por 14 termas, incluindo algumas das mais conhecidas a nível nacional, como Vimeiro, Curia, S. Pedro do Sul, Luso e Aregos, entre outras.

O atleta disse ser um privilégio poder associar-se a uma iniciativa que tem como objetivo chamar à atenção para o caráter saudável da atividade termalista em Portugal, associando-a também ao desporto. É ainda uma oportunidade, frisou, para promover “este importante património histórico, cultural e económico do país”.

“Tenho estado em edifícios muito bonitos e alguns até deu para visitar”, acrescentou, agradecendo a simpatia que encontrou em algumas estâncias.

A atividade designa-se “Pedalar pelas Termas” e é uma iniciativa da Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF), no âmbito do evento “Expo Saúde e Termalismo – Portugal e Galiza”, que se realiza no parque de exposições daquela cidade, de 15 a 18 de Maio.

Na segunda-feira, João Matias vai retomar a atividade a partir de Monção, terminando aquele dia em Chaves. Na terça-feira, o ciclista começa a pedalar em Vidago, terminando em Almeida, na região centro do país. Para quarta e quinta-feira, estão previstas passagens por estâncias termais do centro e sul do país, com o final apontado para Monchique, no Algarve. Ao todo, prevê-se que a atividade permita passar por 36 termas.

“Quando a volta terminar já devo ter cumprido mais de 1.000 quilómetros”, previu o atleta.

 

Agência Lusa
COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.