Terminadas as cerimónias do 10 de Junho em Lisboa, o Presidente da República deslocou-se para França, com a missão de condecorar, o “heroísmo e a bravura” de seis militares, mas também de emigrantes portugueses que se revelaram essenciais na ajuda às vítimas dos atentados de Paris.

A manhã de sexta-feira feira ficou marcada pelas celebrações no Terreiro do Paço, em Lisboa, onde o Chefe de Estado condecorou seis militares, pela sua ação meritória no cumprimento de missões no âmbito nacional e internacional.

Depois do discurso em que exaltou a força do portugueses em situações de “crise”, como a que o país tem vindo a viver, as comemorações passaram a ter lugar em Paris. Marcelo Rebelo de Sousa ficou em França até hoje, dia 12 de Junho, e aproveitou a sua estadia para condecorará cinco emigrantes portugueses, uma luso-descendente e três franceses, pela sua intervenção na comunidade lusa na capital francesa, nomeadamente pela participação de alguns deles no socorro à vitimas do atentado de 13 de Novembro. Por este motivo foram condecorados, na passada sexta-feira, com o grau de Dama/Cavaleiro da Ordem da Liberdade Margarida de Santos Sousa, Manuela Gonçalves, José Gonçalves e Natália Teixeira Syed.

Nesta passagem por Paris, e ainda no âmbito das comemorações do 10 de Junho, o presidente da republica distinguiu outras personalidades que se destacaram na comunidade lusa da capital francesa, como é o caso do fotógrafo que mais retratou os bairros de lata portugueses em França nos anos 60 e 70, Gérald Bloncourt, que vai receber a ordem de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique, Joaquim Silva Sousa, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Paris, que vai ser condecorado com o grau de Comendador da Ordem do Mérito, Valdemar Francisco, de 62 anos, que receberá o grau de comendador da ordem de Mérito.

Para além destes também Louis Talamoni, antigo autarca de Champigny, vai ser distinguido a título póstumo com o grau de comendador da Ordem da Liberdade, por “durante largos anos, a partir de 1956 e até 1972, data da extinção do “bidonville”, assim como o atual Presidente da Câmara de Champigny, o francês Dominique Adenot, a quem vai ser atribuído o grau de Comendador da Ordem do Mérito, por “ter demonstrado um especial interesse e empenho junto da comunidade portuguesa e luso-descendente do município que dirige”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui