Manila, 16 nov (Lusa) – Conflitos no sul das Filipinas causaram 20 mortos na sexta-feira, a maioria devido a confrontos entre as forças do Governo e militantes ligados à Al-Qaida, disseram fontes policiais e militares.

Três trabalhadores de plantações, incluindo um pai e seu filho, foram alvejados mortalmente na ilha de Basilan, naquilo que as autoridades acreditam ter sido um caso de extorsão, indicou o inspetor Gean Gallardo, chefe da polícia.

“Estas três vítimas são trabalhadores comuns sem contas para acertar com ninguém”, garantiu.

No mesmo dia, uma menina de oito anos e um homem de 43 anos foram mortos por morteiros disparados por um grupo de rebeldes islâmicos na cidade de Pikit, garantiu fonte do exército.

Os militares já tinham anunciado também que cinco soldados e 10 milícias do grupo extremista Abu Sayyaf, ligado à Al-Qaida, foram assassinados na ilha de Jolo.

A porta-voz regional do exército, Rowena Muyuela, disse que a escalada de violência resulta dos esforços do Governo em capturar vários criminosos. “Todos estes casos se devem à intensificação das operações de aplicação da lei”, disse à AFP.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.