O consórcio brasileiro Norte Energia, responsável pela construção da polémica barragem de Belo Monte, informou hoje que chegou a acordo com ativistas indígenas que bloqueavam parte das obras.

Nos termos do acordo, a empresa terá de ressarcir as perdas sofridas pelos indígenas nos meses de novembro e dezembro, quando a turbidez da água provocada pelas obras prejudicou a pesca artesanal nas aldeias de Paquiçamba, Muratu e Furo Seco.

Segundo o Norte Energia, o documento foi assinado na noite de quarta-feira e a estrada conhecida como Travessão 27, que dá acesso a um dos estaleiros da obra da barragem foi desbloqueada.

A barragem de Belo Monte está a ser construída próximo do município de Altamira, no estado do Pará, região norte do Brasil. O projeto prevê que a barragem possua uma capacidade de geração de 11.233 MW.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui