Lou Pearlman, o produtor que lançou nos anos 90 grupos musicais como os Backstreet Boys ou os NSync, morreu na prisão, onde estava a cumprir uma pena de 25 anos por burlar investidores em 300 milhões de dólares.

O Departamento Federal das Prisões anunciou que o empresário caído em desgraça morreu na sexta-feira, aos 62 anos, não adiantando mais detalhes.

Inspirado pelo sucesso da banda de jovens New Kids on the Block, Lou Pearlman recrutou um grupo de desconhecidos para formarem os Backstreet Boys, que atingiu o sucesso em 1996. A banda viria atingir vendas superiores a mais de 130 milhões de discos.

Alguns elementos de outras bandas de Pearlman, como Justin Timberlake, dos NSync, e Britney Spears, atingiram mais tarde o sucesso através de carreiras individuais.

O empresário estava a cumprir a pena numa prisão em Texarkana, no Texas.

Lou Pearlman foi condenado em 2008 por fraude e por ter enganado investidores – incluindo os amigos e a família – em mais de 500 milhões de dólares, através de esquemas em pirâmide e esquemas bancários fraudulentos ao longo de duas décadas.

O esquema de Ponzi de Pearlman passou por convencer investidores, amigos e familiares a enterrar as suas poupanças numa empresa de voos charter que só existia em folhetos.

Numa entrevista telefónica ao The Hollywood Reporter em 2014, Pearlman confessa que “desejava que nunca tivesse roubado dinheiro” aos seus 1700 investidores.

Pearlman diz que não é nenhum Maddoff, que “era apenas um embusteiro”, e acredita que teria conseguido compensar os seus investidores pelas perdas que lhes causou.

“Basta que me tivessem dado a oportunidade de lançar mais uma banda”, diz o empresário ao THR.

“E nunca nenhum dos meus companheiros na prisão me incomodou por causa das acusações de molestação”, acrescenta Pearlman, “porque sabem que nada disso pode ser verdade.

ZAP / Lusa

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.