A 11ª etapa, que hoje ligou Salta a Termas Rio Hondo, foi a segunda metade de mais uma etapa maratona, o que implicou que, ontem, à chegada à Salta, os pilotos estivessem por sua conta para todas capa 11as reparações mecânicas a efectuar nas suas motos. Na equipa Honda foi necessário mudar o motor da  moto de Paulo Gonçalves, o que acabou por implicar a desmontagem de três motores e a sua recolocação.

Uma situação que obrigou a um exautivo trabalho de equipa e levou a que Hélder Rodrigues partisse para a etapa de hoje depois de dormir apenas três horas e deixando de lado algumas tarefas normalmente imprescindíveis.

Esta mudança de motores de Paulo Gonçalves que se encontrava apenas a 5 min de Marc Coma (KTM)   implica  uma penalização de 15 min perdendo em principio todas as lutar pela vitória.

Mesmo assim o piloto cumpriu os 375 quilómetros de sector selectivo mantendo a sua posição de partida para a etapa, onde registou o 8º melhor tempo.

“Era muito importante para a equipa que esse trabalho fosse feito e conseguimos. Terminámos às duas da manhã e levantámo-nos às cinco e meia. Com isso não houve tempo para preparar o road book pelo que tivemos de ser mais cautelosos. Mas correu tudo bem. Estou feliz por ter podido ajudar a equipa a manter as suas ambições de uma boa classificação”, salientou à chegada a Termas Rio Hondo, Hélder Rodrigues, piloto oficial da Honda, apoiado pela MEO e Red Bull.

A não perder as  reportagens da prova mais dura do mundo todos os dias no Eurosport pelas 22h.

Mais informações sobre a prova em: www.dakar.com

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.