A Segurança Social detectou 30 mil baixas fraudulentas desde o início do ano, o que dá uma média de 4.680 casos por mês.

Os dados são divulgados pelo Jornal de Notícias que reforça que o Estado procedeu a mais de 127 mil avaliações de situações de subsídio por doença entre Janeiro e Junho deste ano.

De acordo com a publicação, detectaram-se 30 mil casos onde não havia justificação médica para a manutenção do apoio da Segurança Social, o que dá uma média de 4.680 baixas médicas fraudulentas por mês.

O jornal destaca que “mais de 20%” das situações analisadas “foram sujeitas a juntas médicas entre Janeiro e Junho deste ano e consideradas aptas para trabalhar”.

O governo apertou o cerco à fiscalização das baixas médicas com o intuito de poupar 60 milhões de euros na atribuição do subsídio.

Os casos de fraude terão disparado com a diminuição da fiscalização nos últimos dois anos. Desde 2009 que não havia tantas pessoas de baixa médica, quase 600 mil, o que levou o Estado a pagarmais de 450 milhões de euros em subsídios.

Entre as medidas que o governo pretende implantar para aplicar um melhor controle, está a de levar a Junta Médica todos os beneficiários com baixas que ultrapassem os 30 dias. Quem faltar duas vezes à convocatória sem apresentar justificação, perderá de imediato o subsídio.

ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.