Uma pessoa morreu e outras oito ficaram feridas na região sudeste da Turquia quando o exército disparou tiros para o ar para tentar dispersar um grupo de 300 manifestantes que contestava a ampliação de um campo militar.

A vítima foi morta em circunstâncias ainda indeterminadas durante a intervenção dos soldados que ocorreu na cidade de Lice, na província de Diyarbakir, indicaram fontes das forças de segurança.

A agência noticiosa curda Firat News confirmou a ocorrência de uma vítima mortal, precisando que o exército começou a disparar depois de os manifestantes terem ateado fogo a várias tendas, que estavam no estaleiro de construção, e de terem lançado pedras e cocktails ‘molotov’ contra a polícia.

A região sudeste da Turquia, de maioria curda, tem estado afastada da onda de contestação contra o governo islâmico conservador turco, liderado por Recep Tayyip Erdogan, que tem abalado várias cidades do país, principalmente Istambul, a capital Ancara e Izmir (oeste).

Os protestos antigovernamentais começaram em finais de maio, depois de a polícia ter dispersado com gás lacrimogéneo e canhões de água uma manifestação pacífica contra um plano de construção de um centro comercial num parque de Istambul, conhecido como o parque Gezi.

Segundo o último balanço da associação de médicos turcos, as manifestações que abalaram a Turquia fizeram quatro mortos, três manifestantes e um polícia, e cerca de oito mil feridos.

LUSA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui