foto: Fernando Veludo / Lusa //

Os dragões correm o sério risco de jogar um ou dois jogos à porta fechada, caso venham a ser condenados pelo processo disciplinar aberto pelo Conselho de Disciplina da Liga Portuguesa de futebol.

 No mapa de castigos divulgado esta terça-feira, pode ler-se que o FC Porto foi alvo de um processo disciplinar ao abrigo do artigo 181.2. Este artigo refere agressões de adeptos a “elemento da equipa de arbitragem, delegado ou observador da Liga, jogador ou dirigente dos clubes participantes no jogo”, sendo aplicada uma eventual “sanção de realização de jogos à porta fechada a fixar entre o mínimo de um e o máximo de dois jogos’.

Em causa está o arremesso de tochas na direção da baliza do Estoril, defendida por Moreira, mesmo antes do início da segunda parte, e que levou a um atraso no reatamento do jogo, para que fosse prestada assistência ao guarda-redes.

Este caso é em tudo semelhante ao ocorrido na final da Taça CTT, entre Moreirense e o Sporting de Braga, quando alguns jogadores do Moreirense tiveram de ser assistidos depois do rebentamento de petardos durante os festejos do golo de Cauê.

Também o Braga foi alvo de um processo disciplinar que pode resultar também na realização de um ou dois jogos à porta fechada.

Os dois casos serão agora entregues à Comissão de Instrutores, que será responsável pela investigação. As conclusões serão depois remetidas ao Conselho de Disciplina, que decidirá se há motivo para castigo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui