O ex-presidente cubano Fidel Castro apelou esta sexta-feira aos Estados Unidos e à Coreia do Norte para evitarem uma guerra nuclear que atingiria “70% da população mundial”, segundo um artigo publicado nos meios de comunicação oficiais de Cuba.

“Trata-se de um dos riscos mais graves de guerra nuclear desde a crise dos mísseis de Cuba em outubro de 1962”, alertou Fidel Castro, que retoma as suas “Reflexões” com um artigo intitulado “O dever de evitar uma guerra na Coreia”.

Na opinião do líder da revolução cubana, se ocorrer um conflito na península da Coreia, o presidente norte-americano Barack Obama tornar-se-á na “mais sinistra personagem da história dos Estados Unidos”.

“O dever de evitar [o conflito] é seu e do povo dos Estados Unidos”, observou Castro.

À Coreia do Norte, Fidel Castro relembra “os seus deveres com os seus grandes amigos, não sendo justo esquecer que uma guerra afetaria mais de 70% do planeta”.

“Se começar um conflito, os povos de ambas as partes da península [coreana] serão terrivelmente sacrificados, sem benefícios para nenhum dos dois”, avisou o ex-presidente do Comité Central do Partido Comunista de Cuba.

Fidel Castro, com 86 anos, retirado do poder desde 2006 por uma doença que o obrigou a delegar o poder no seu irmão Raúl, não publicava as suas “Reflexões” – artigos de opinião sobre diversos assuntos que começou a escrever durante a sua convalescença – desde junho do ano passado.

NOTICIA LUSA
COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.