Nuno Crato, admitiu esta quinta-feira que a Universidade Lusófona venha a anular licenciaturas, se ficar comprovado que houve irregularidades no processo de atribuição de creditações a alunos.

As ilegalidades que possam vir a ser detetadas, implicarão a anulação dos graus académicos atribuídos pela Instituição de Ensino Privado.

O Ministério da Educação e Ciência divulgou esta quinta-feira dois despachos onde sanciona com uma “advertência formal” pelo não cumprimento de recomendações feitas em 2009 acerca do reconhecimento de créditos a alunos desta Universidade.

As dúvidas sobre o processo de creditações na Lusófona, tornaram-se reais quando ficou conhecido que o ministro Miguel Relvas obteve a sua licenciatura quando esta Instituição lhe reconheceu 160 créditos no ano letivo 2006/2007.

“Detetaram-se algumas insuficiências no processo” das creditações e “decidimos fazer uma advertência formal”, que é a sanção mais baixa que poderia ser atribuída, acrescentou Nuno Crato, à margem de um Colóquio realizado hoje pela Sociedade Portuguesa de Matemática no Instituto para a Investigação Interdisciplinar da Universidade de Lisboa.

A Universidade Lusófona já admitiu rever todos os processos em causa, no prazo de dois meses.

Redação iPressGlobal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui