foto: Patrick Tomasso / unsplash

O Governo admite pagar cerca de 10% das faturas da eletricidade de todas as famílias até ao final do novo confinamento, que arranca esta quinta-feira.

Fonte do Ministério do Ambiente confirmou ao semanário Expresso, esta terça-feira, que irá ser apresentada uma medida extraordinária de pagamento da fatura da luz de todas as famílias, que deverá ser de cerca de 10% do valor total.

A medida, que significa na prática a diferença entre a fatura de 2020 e a deste ano, irá aplicar-se já à fatura de janeiro, desde o passado dia 1, e irá prolongar-se enquanto durar o confinamento geral, que arranca esta quinta-feira.

Esta medida extraordinária, que irá aplicar-se a todas as famílias, independentemente do seu rendimento, deverá ter um custo estimado de 20 a 25 milhões de euros por mês. Significa uma “ajuda superior a 10% da fatura para todas as famílias” e uma “ajuda acima dos 40% para quem tenha tarifa social” (pessoas que já beneficiam de um desconto de 34%), acrescenta o jornal.

Questionada pelo Observador, fonte oficial do mesmo ministério escusou-se a dar mais pormenores, mas admitiu que o apoio extraordinário poderá ser debatido e aprovado no Conselho de Ministros desta quinta-feira.

O Executivo dá, assim, seguimento à proposta apresentada pelo PEV na reunião com o primeiro-ministro, no passado sábado.

Além do alívio na fatura de eletricidade, o Governo também irá reativar a medida de fixação de um limite aos preços de venda ao público do gás de botija, cuja procura tem aumentado este mês com a vaga de frio.

ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui