O FC Porto alcança resultado histórico ao golear o Iserlohn por 21-1, em partida relativa à primeira jornada da Liga Europeia.

Apesar de teoricamente a equipa alemã ser a mais fraca do Grupo A, a verdade é que ninguém esperava um desequilíbrio tão abismal entre as formações e muito menos no resultado final. A vitória categórica dos Dragões começou a tomar forma logo na primeira parte, que terminou com um confortável 7-0. Foi um jogo, do primeiro ao último minuto, de sentido único com os azuis-e-brancos a marcarem o ritmo (e os golos) frente à frágil e modesta formação germânica.

Na segunda parte e mesmo com o jogo resolvido, o conjunto orientado pelo espanhol Gillem Cabestany manteve o “pé no acelerador” e com profissionalismo encarou a equipa contrária da mesma forma, o que acabou por resultar num resultado desnivelado e histórico na Liga Europeia de hóquei em patins.

Sem argumentos para fazer frente a um adversário poderoso como o FC Porto, o Iserlohn foi uma presa fácil e rapidamente acabou arrasado pela velocidade, criatividade e intensidade, contudo há a realçar a constante tentativa de procura da baliza portista na esperança de chegar ao golo, o que acabaria por acontecer através de uma grande penalidade convertida por André Costa, um dos três portugueses desta equipa germânica.

Numa partida com golos para todos os gostos, todos os jogadores portistas marcaram, com exceção dos dois guarda-redes, Edo Bosch e Nélson Filipe.

No final da partida o técnico portista mostrava-se “no global satisfeito”, relembrando que “o Iserlohn não tem nada a ver com os outros adversários” do grupo A da Liga Europeia, afirmou Guillem Cabestany.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.