António Reis, um dos diretores do Fantasporto, considera que “a imagem do festival está a ser duramente afetada” e espera que o fundador do certame, Mário Dorminsky, dê explicações sobre as denúncias relacionadas com alegada utilização indevida de dinheiro.

“Pergunto-me se na conferência de imprensa para anunciar a programação, as perguntas serão sobre filmes ou sobre problemas judiciais”, questionou à Lusa António Reis.

O histórico do festival afirma que não se pode “fingir que está tudo bem” e não sabe “como não foi disponibilizada aos cooperantes informação em relação às questões centrais” levantadas pela revista Visão.

A revista avançou em setembro que o Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) recebeu uma denúncia dando conta de eventuais ilegalidades na organização do festival de cinema Fantasporto, nomeadamente fuga ao IVA e falsificação do número de espetadores.

Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui