Um grande incêndio em São Pedro do Sul obrigou a evacuação de uma centena de campistas do parque de campismo do Bioparque, situado na freguesia de Carvalhais.

Fruto dos ventos fortes, o incêndio proveniente de Arouca entrou rapidamente no concelho vizinho de São Pedro do Sul com duas frentes ativas a arder com muita intensidade. Numa zona de terreno muito acentuado e com falta de meios para combater as chamas, São Pedro do Sul viveu ontem momentos de autêntico drama. Vítor Figueiredo, Presidente da Câmara de São Pedro do Sul, era o rosto da indignação e da revolta contra a escassez de meios para controlar o fogo: “Tínhamos uma frente quase com 16 quilómetros e apenas cerca de 30 ou 40 voluntários para combater todo este fogo. Nunca tivemos apoio das entidades oficiais. O fogo foi progredindo e atingimos um ponto em que a situação foi catastrófica”.

Durante a tarde de ontem o fogo foi consumindo muitos quilómetros de floresta aproximando-se rapidamente das populações, acabando por destruir mais de dez casas. Pelo meio, várias aldeias tiveram que ser evacuadas e um sapador florestal do agrupamento de empresas papeleiras AFOCELCA ficou ferido com gravidade no combate às chamas na serra da Arada, acabando por ser transportado de helicóptero para o Hospital de Viseu.

Em Carvalhais, uma freguesia do concelho de S. Pedro Sul, perto de 120 campistas também foram evacuados mas “apenas por prevenção”, como relatou um dos funcionários do Bioparque – Parque Florestal do Pisão. Por volta das 19h os funcionários do Bioparque foram serenamente informar um a um os campistas que por segurança o parque iria ser evacuado, disponibilizando-se de imediato para ajudar a desmontar os equipamentos. “O fogo não está perto, mas também não está longe, contudo o vento forte pode colocar em risco a  segurança dos campistas e para nós a vida humana é o mais importante”, adiantou um dos elementos do staff do Bioparque ao iPressGlobal.

Sem agitação e com o fogo já na linha do horizonte, os campistas foram abandonando o local. Pedro Gomes um dos campistas evacuados, tinha escolhido aquele recanto da natureza para passar férias, tinha chegado no dia anterior e embora com um expressão triste mostrava-se feliz com a decisão do Bioparque: “É triste ter de sair assim, mas atitude deles (Bioparque) foi a melhor, segurança acima de tudo”.

Ao que conseguimos apurar, o fogo encontra-se neste momento controlado e não chegou afectar o parque, embora ainda estejam todos em estado de alerta.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui