David Machado, foi esta semana premiado com o Prémio Salerno Libro d’Europa, que distingue, anualmente, autores com idade inferior a 40 anos, com o romance Índice Médio de Felicidade.

David Machado é natural de Lisboa, do seu curriculum fazem parte títulos como  Histórias Possíveis, O Fabuloso Teatro do Gigante e  Deixem Falar as Pedras,  reconhecidos positivamente pela crítica.

O romance agora premiado conta-nos a história de Daniel, um homem que perdeu o emprego, a mulher e os filhos devido a crise profunda que Portugal atravessa. Um solitário que para além de tudo ainda tem de conviver com a ausência dos seus dois melhores amigos: Xavier, que está fechado em casa há dozes anos, obcecado com as estatísticas e profundamente deprimido com o facto de o “site” que criaram para as pessoas se entreajudarem não ter resultado; Almodôvar que foi preso numa tentativa desesperada de remendar a vida. O romance concorreu e este prémio a par com os livros Latte di tigre, da alemã Stefanie de Velasco, La Memoria dell’acqua, da finlandesa Emmi Itaranta.

 Para além deste prémio, o Índice Médio de Felicidade, que está  agora a ser adaptado para cinema pelo realizador Joaquim Leitão, com argumento do próprio David Machado, em parceria com Tiago Santos, já havia sido, no ano passado, vencedor do Prémio da União Europeia de Literatura.

Mas esta não é a primeira vez que o jovem autor vê as suas obras premiadas, em 2005, o seu conto infantil A Noite dos Animais Inventados recebeu o Prémio Branquinho da Fonseca, da Fundação Calouste Gulbenkian e do jornal Expresso, em 2010  O Tubarão na Banheira foi distinguido com o Prémio Autor SPA/RTP de Melhor Livro Infanto-Juvenil.

Os seus livros nestes momentos encontram-se publicados em Itália, França, Brasil e Marrocos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui