Durante os próximos quatros anos, a Reserva Natural das Berlengas será alvo de um projecto de restauração ambiental que tem como principal objectivo garantir a preservação dos seus valores naturais. A parceria, que junta uma ONG, o Estado, uma autarquia e uma universidade, prevê assim aliar desenvolvimento sustentável, turismo responsável e conservação dos valores naturais da Reserva Natural das Berlengas, num exemplo de gestão de uma área protegida.

O projecto chama-se LIFE+ Berlengas e foi um dos cinco aprovados para Portugal, no âmbito do Programa LIFE+ da União Europeia.

O Life+Berlengas iniciou-se a 1 de Junho e terá como principal objectivo tornar o arquipélago das Berlengas num exemplo de turismo sustentável e desenvolvimento económico responsável, através da integração de todas as atividades económicas com os incríveis valores naturais existentes. A Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves – SPEA – irá coordenar a implementação do projecto, contando com três parceiros essenciais: o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, a Câmara Municipal de Peniche e a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Com um investimento de 1,3 milhões, dos quais 50% são co-financiados pela Comissão Europeia, o projecto vai ajudar a repor valores naturais do arquipélago. “Tal como noutros projectos semelhantes levados a cabo pela SPEA, é [também] feito um investimento substancial que visa o benefício das comunidades locais e a sustentabilidade das acções de Conservação da Natureza”, explica a SPEA em comunicado.

“Ao longo do projecto será realizada a avaliação da capacidade de carga das Berlengas e serão dadas recomendações para a exploração sustentável dos seus recursos naturais. Serão colocadas em prática acções de mitigação de capturas acidentais de aves marinhas em artes de pesca, bem como de controlo das espécies de mamíferos introduzidos pelo Homem e plantas invasoras”, continua a associação.

O arquipélago das Berlengas e as suas águas circundantes sofrem dos efeitos da crise económica, pelo que as autoridades portuguesas têm tido dificuldades em garantir a boa preservação deste frágil ecossistema. “Pretende-se utilizar o incrível potencial turístico do arquipélago das Berlengas e de Peniche para promover e reverter este santuário natural à sua forma original, mantendo todos os valores naturais que representam o capital turístico desta área”, explicou Luís Costa, director-executivo da SPEA,

A cidade de Peniche e as Berlengas são um importante destino turístico do país, recebendo mais de 200 mil visitantes por ano.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.