O evento decorre até ao dia 20 de Julho e traz a Viseu concertos, oficinas, mercados, cinema, artes visuais, arquitetura, teatro, dança e outras atividades culturais e criativas.

Mais de 150 toneladas de plantas ocupam nos próximos dias o centro histórico Viseu, dando o mote ao Festival Jardins Efémeros, sendo o “som”  tema mestre nesta edição, com destaque especial para o Simpósio “Invisble Places, Sounding Cities”.

A invasão de toneladas de plantas, a ocupação de prédios devolutos e de não-lugares, conjugada com a vontade de lhes dar um novo sentido, através das artes, cultura e ciência, são os alicerces do Festival Jardins Efémeros, que este ano tem em carteira 283 atividades. No dia do arranque do festival, o palco da Praça D. Duarte recebeu Bruno Pernadas, com um concerto que abrangeu vários estilos musicais.

Na apresentação do evento, o Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, destacou que “mais do que no passado, os Jardins Efémeros trazem a Viseu um fôlego de criatividade artística misturado com uma reflexão sobre aquilo a que chamamos “cidade””. Almeida Henriques assinalou ainda que a “componente de reflexão dos Jardins acontece num momento decisivo de debate, questionamento e de viragem da política da cidade”.

A quarta edição dos Jardins Efémeros tem como tema “Para lá do invisível” e vai reunir 205 criadores locais, nacionais e internacionais das mais diferentes áreas.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.