A Líbia destruiu totalmente o arsenal químico herdado do antigo regime de Muammar Kadhafi, anunciou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Mohamed Abdelaziz, que se referiu a um “momento histórico”.

“A Líbia tornou-se totalmente livre de armas químicas utilizáveis que poderiam representar uma potencial ameaça para a segurança das comunidades locais, o ambiente e as regiões vizinhas”, disse o ministro.

“Este objetivo não teria sido possível num período tão curto de tempo sem os esforços concertados da comunidade internacional, ou sem o apoio logístico e a assistência técnica do Canadá, Alemanha e EUA, que permitiram a oportunidade para a utilização de tecnologia avançada, segura e consistente”.

Abdelaziz discursava numa cerimónia em Tripoli destinada a assinalar o evento e na presença de Ahmet Uzumcu, responsável máximo da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) e dos representantes e embaixadores dos países envolvidos.

Por seu turno, Uzumcu felicitou-se por seu lado pelo “bom exemplo da cooperação internacional agora reproduzida na Síria em grande escala”.

A Líbia iniciou o desmantelamento do seu arsenal químico em 2004, ainda durante o antigo regime de Kadhafi, que tinha aderido ao tratado internacional que proibia as armas químicas e à OPAQ.

Lusa

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.