foto : Nuno Mourão / Wikimedia

A Comissão Europeia (CE) aprovou, esta terça-feira, a concessão de 264,95 milhões de euros para melhorar a conexão ferroviária de alta velocidade entre Madrid e Lisboa.

O investimento, que se enquadra na rubrica dos Fundos de Coesão, servirá para “melhorar o serviço de passageiros e mercadorias de longa distância e reduzir as emissões de CO2”, afirmou a Comissão Europeia em comunicado.

Segundo o executivo europeu, estima-se que o início das obras ocorra em dezembro de 2022 e que afetará principalmente a região espanhola da Extremadura. O investimento afetará, especificamente, 178,6 quilómetros da linha Plasencia-Cáceres-Badajoz, uma das áreas com menos infraestrutura construída nos 715 quilómetros que compõem a rota Madrid-Lisboa.

Segundo a Comissão, dois outros setores que ainda precisam ser ajustados são os compreendidos entre Plasencia e Madrid e entre Badajoz e a fronteira portuguesa.

Quando o trabalho estiver finalizado, espera-se que os comboios possam circular no máximo 300 quilómetros por hora entre as duas capitais da Península Ibérica.

Bruxelas anunciou esta terça-feira investimentos de 1.400 milhões de euros em “projetos verdes” que afetarão a República Checa, Croácia, Roménia, Hungria, Polónia e Portugal.

Para Portugal, a Comissão Europeia aprovou um investimento de 107 milhões de euros do Fundo de Coesão para a modernização da rede de metropolitano do Porto, que representa perto de 25% dos custos totais dos projetos.

ZAP // Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui