Os altos funcionários e os membros do Governo chinês foram proibidos de fumar em público. Com esta imposição, o Executivo espera melhorar a imagem dos políticos e ajudar a consciencializar os fumadores para os perigos associados ao tabaco.

Além da proibição de fumar em público, os dirigentes chineses foram também interditos de usar fundos públicos para comprar cigarros e de oferecer cigarros ou fumar durante actos oficiais e eventos públicos. A proibição foi imposta por uma nova circular do Partido Comunista da China (PCC), divulgada este domingo, 29 de Dezembro.

Na China existem mais de 350 milhões de fumadores e as tentativas já implementadas pelo Governo a fim de reduzir o número de fumadores têm-se revelado infrutíferas. A proibição de fumar em locais fechados tem sido largamente ignorada. Contudo, o maior oponente das tentativas governamentais para que os cidadãos chineses reduzam o consumo de tabaco é o próprio Governo.

Actualmente, a China é o maior produtor e consumidor mundial de tabaco. As vendas de tabaco representam cerca de 10% do total das receitas ficais arrecadadas pelo Estado e cerca de metade das receitas nas províncias produtoras de tabaco, refere o Quartz.

Algumas das marcas de cigarros mais caras são produzidas principalmente para os oficiais do Governo oferecerem e receberem como presentes. Marcas como a “Yellow Crane Tower” ou “Diamond”, que contêm ingredientes especiais – como fungos de lagarta e tabaco seleccionado manualmente – podem custar mais de €21,8 por maço.

Apesar de os sete elementos permanentes do Comité Central do PCC não serem fumadores, o que contrasta com os seus antecessores, grande parte dos altos funcionários do partido e do Governo são amantes deste vício.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.