Todos os anos com a chegada do calor, o combate aos incêndios torna-se uma realidade. Este ano e comparativamente ao ano 2013, o tempo mais frio que se faz sentir, permite que o trabalho dos bombeiros seja menos requisitado.

Depois de um verão de 2013 trágico para os bombeiros, devido à morte de diversos membros das cooperações portuguesas, 2014 parece querer dar maior descanso a estes Homens.

Quando comparamos os meses de julho de 2013 e 2014 verificámos que o número de incêndios este ano está muito aquém dos registados no ano anterior. Durante o mês de julho de 2013 ocorreram 3.348 incêndios, ao contrário deste ano em que apenas se registaram, segundo o último relatório provisório de incêndios florestais do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), 1.402 fogos. Sendo que o total de área ardida em Julho 2014 se situa nos 1.583 hectares, bem menos do que o que foi registado no mesmo período de 2013.

Segundo o mesmo relatório, este ano o maior número de ocorrências foi registado no distrito do Porto (912), seguido dos de Lisboa (438) e Braga (435), sendo os incêndios maioritariamente de pequena dimensão, não ultrapassando um hectare de área destruída pelo fogo.

Ainda e no que concerne à área ardida, os distritos que registam maior número de hectares destruídos foram o Porto, a Guarda e Viana do Castelo.

Até ao momento o maior incêndio registado ocorreu a 15 de Junho na freguesia de Aboadela, no Porto. Só este incêndio corresponde a 75% da totalidade da área ardida em 2014.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.