O parlamento dinamarquês aprovou uma lei que irá permitir apreender bens de valor superior a cerca de mil e trezentos euros, que não tenham valor sentimental, a todos os que entrarem no seu país em busca de asilo.

Esta lei é um insulto não só em relação à tão proclamada assistência europeia, mas é também um atentado aos próprios direitos humanos.

Não estamos a falar de migrantes que procuram, pelos mais variados motivos, mudar de vida, procurando oportunidades noutros países. Estamos a falar de pessoas que fogem da guerra e que já pouco mais lhes resta do que a esperança de encontrarem alguma paz em sítios onde possam viver de forma digna e com segurança.

Estas pessoas, irão ser revistadas pela polícia, à entrada no país, e serão estes que farão a avaliação dos bens que terão de ser entregues.

Sabemos que esta situação na Dinamarca não é inédita, o mesmo já aconteceu na Suíça, mas são estas determinações que põe em causa a decência de países que se auto proclamam estandartes de valores de cidadania e civilidade, claro que se não estiverem a comiseração, o apoio e a solidariedade a quem mais necessita.

Esta medida tomada pelo atual governo dinamarquês de centro direita e apoiado pelo partido anti emigração e pelos sociais-democratas, não foi censurado, ainda, pelos restantes estados europeus, o que nos deixa a triste sensação que de facto, os valores humanos europeístas estarão inevitavelmente perdidos.

Quando se nega auxílio a quem mais dele necessita e se põe em causa o mais básico respeito pela sobrevivência humana então, fatalmente, pouco mais resta a um país que a sua mesquinhez transformada em pura crueldade.

Um País também deve ser avaliado pelo respeito como trata os outros, sejam nacionais ou estrangeiros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui