foto: Marcos Santos / USP Imagens

A notícia é avançada pelo Jornal de Notícias, que adianta que a Escola EB 2,3 Gonçalo Sampaio, na Póvoa de Lanhoso, Braga, está sob investigação devido a uma denúncia feita por um professor.

Em causa estão pelo menos sete alunos que tinham sido chumbados pelo docente da disciplina de Geografia, mas que surgiram aprovados nas pautas. Um dos reprovados até ficou com 19 (em 20) valores, após intervenção do Conselho Pedagógico da instituição de ensino.

A situação remonta ao ano letivo passado e foi denunciada pelo próprio professor da disciplina, Luís Filipe Sá, da Escola Gonçalo Sampaio na Póvoa de Lanhoso, segundo o qual as notas negativas de sete alunos da instituição surgiram positivas na pauta depois de passarem pelo Conselho Pedagógico.

Depois de fazer queixa aos órgãos escolares e ao Ministério da Educação, Luís Filipe de Sá, contactou o MP. Afirma que as alterações foram feitas pela escola “sem o avisar e sem justificar”, e que o acusaram de o teste não ter validade científica.

 O professor de Geografia pediu ao Conselho Pedagógico que lhe fosse dado o motivo da alteração das notas, e depois de reiterado o pedido, foi-lhe dada a resposta de que o teste da disciplina apresentava erros científicos.

Luís Filipe Sá disse que “nunca soube em que parecer se baseou, dado que tal nunca lhe foi comunicado”. Depois desta resposta, solicitou um parecer a uma professora de Geografia da Universidade de Coimbra, que afirmou que o teste não tinha quaisquer erros.

A professora explicou ainda que, de qualquer modo, um erro científico não justificaria uma subida de nota de dez valores.

A mesma situação aconteceu na disciplina de inglês, com a docente a queixar-se da alteração de notas. A diretora da escola recusou-se a prestar declarações.

ZAP //

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.