foto : Manuel De Almeida / Lusa

Em entrevista à SIC Notícias, Mariana Vieira da Silva não quis revelar grandes detalhes sobre o plano de desconfinamento, que vai ser anunciado esta quinta-feira, lembrando que hoje vai haver mais uma reunião no Infarmed com os peritos.

“A partir de amanhã [esta segunda-feira], julgo que poderemos em conjunto definir um plano de desconfinamento. Mas é preciso que fique claro para todos: será um plano faseado, que será sempre lento e que dependerá sempre dos números concretos de cada momento”, afirmou.

A governante acrescentou ainda que a capacidade de desconfinar dependerá da atuação do país e recordou que, apesar do plano de desconfinamento, há coisas que não vão mudar como, por exemplo, a necessidade do uso de máscara e do distanciamento físico.

A ministra de Estado e da Presidência não escondeu, no entanto, que o desconfinamento começará pelas escolas, tal como já tinha anunciado há várias semanas. “As decisões vão ser tomadas ao longo desta semana. Existem prioridades que já foram afirmadas não apenas por mim, mas pelo ministro da Educação e pelo primeiro-ministro.”

“Nós sabemos os custos que as escolas estarem encerradas têm para todos, não só para as famílias mas também para as crianças. Há crianças que, passado um determinado ciclo de escolaridade, terão tido muito poucas aulas presenciais. E por isso é natural que esta seja uma prioridade. É isso que está a acontecer na maior parte dos países”, acrescentou.

Este domingo, também na SIC, Luís Marques Mendes revelou que as creches, o pré-escolar e o 1,º ciclo deverão abrir já a 15 de março.

A 17.ª apresentação da situação epidemiológica da covid-19 em Portugal vai decorrer na manhã desta segunda-feira no auditório do Infarmed, em Lisboa, novamente em formato de videoconferência.

ZAP ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui