foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

Foi na 12ª posição que Miguel Oliveira passou este domingo a bandeira de xadrez no Red Bull Ring, ‘casa’ da Red Bull e da KTM, em Spielberg, na Áustria. O circuito austríaco foi palco do 13º Grande Prémio de MotoGP e, ao contrário das previsões meteorológicas, as corridas realizaram-se em piso seco.

O piloto de Almada iniciou a manhã com a habitual sessão de aquecimento, podendo ler-se na sua postura corporal que sabia o que era preciso para vencer no traçado, traçado este que em 2022 recebeu uma nova chicane. Rodou a sua melhor volta nos 1m31s061, fechando a posição 17.

Apagadas as luzes vermelhas às 13:00 deste domingo, com uma escolha de pneus ‘duro’ e ‘médio’, respetivamente à frente a atrás, o Falcão da Charneca de Caparica largou da 6ª linha da grelha de partida, na 17ª posição. O ‘arranque à Falcão’ permitiu-o voar de 17º diretamente para o 14º posto, onde se manteve sensivelmente até à oitava passagem pela linha de meta.

Resultante de algumas quedas de pilotos e de manobras de ultrapassagem, Oliveira consegue agarrar-se por mais de 18 voltas à 13ª posição, quando, a duas voltas do fim, ganha nova posição por uma abertura de Maverick Viñales. É então que o piloto luso consegue cortar a meta na 12ª posição, a +18,035s que o vencedor Francesco Bagnaia, adicionando 4 pontos à sua classificação que o mantém no top 10 na geral da categoria-rainha, com 85 pontos.

A próxima prova, a 14ª do campeonato do mundo de MotoGP, acontece já no fim de semana de 2 a 4 de setembro, em San Marino, Itália.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui