foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

Apenas 17 pontos separam agora os três primeiros na luta pelo título, com Bastianini a vencer Bagnaia na linha da meta com  Aleix Espargaró a completar o pódio. A Ducati conquistou a cinco provas do final da temporada o titulo de construtores de 2022.

Enea Bastianini (Gresini Racing MotoGP™):  “Outra boa corrida e boa batalha como em Misano! A minha partida foi difícil, quando Aleix me ultrapassou, saí um pouco longo e perdi algumas posições em relação à partida, mas na volta 9, estava de volta ao topo mas  cometi um erro na curva 10, pensei ‘ok, agora tenho que manter a calma para reduzir a diferença para Pecco’. Ele ia muito rápido como em Misano e não cometia erros, como Misano, mas na última volta estava mais perto e venci É incrível para mim estar de volta ao topo e estou feliz. Não pensei em qual curva tentar fazer a ultrapassagem, mas quando vi Pecco bem perto da curva 5, pensei que era a hora de ultrapassar e na curva 7 eu estava muito forte nesta corrida”.

O que os faz tão fortes Enea e Pecco ?

“Pecco e os outros pilotos da Ducati são muito rápidos, mas Pecco tem seus pontos mais fortes como eu, estamos a pilotar as mesmas motos e ultrapassá-lo é muito difícil, mas desta vez ganhei. 48 pontos são muitos para reduzir a diferença, mas quero continuar nesta direção e ser competitivo na última parte do campeonato. Vamos ver o que acontece corrida a corrida, mas tenho uma boa configuração para o futuro.”

Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo Team): “Hoje foi muito importante não cometer erros, já que o Fabio não teve sorte, e nos deu uma grande oportunidade de recuperar muitos pontos. Foi importante na última volta terminar. Quando vi que o Enea estava tão perto de mim, apenas tentei estar relaxado e calmo, pensei que se ele me ultrapassasse eu não queria correr nenhum risco e sair da melhor maneira possível. Se visse um erro  tentaria ultrapassar, mas ele não o fez. Estou feliz com o resultado, fiz o meu melhor hoje e acho que fizemos uma grande diferença em relação aos outros hoje.”

Quanto ao Campeonato:

“Agora está mais apertado: estamos perto. 10 pontos é a menor distância que tive desde o início da temporada, com certeza vou tentar pensar no campeonato, mas não muito. Sei que o Japão não será fácil, temos menos tempo para testar e melhorar a moto, não será fácil. Sabemos que nossa moto precisa de mais tempo para ser preparada em comparação com as outras. Mas tenho certeza que posso ser competitivo, vou tentar trabalhar como estamos fazendo e terminar as corridas.”

Aleix Espargaró (Aprilia Racing): “As expectativas eram altas quando cheguei a Aragon  talvez tenha começado um pouco quente demais, caí duas vezes na sexta e perdi a confiança. O sábado foi difícil, não consegui entrar no top 10 na FP3 e a partir daí comecei a ganhar confiança de novo, fiz uma boa classificação e uma P4 sólida, na corrida  não tinha ritmo para seguir Enea e Pecco, sabia disso, mas no final o terceiro é super bom para o campeonato e estou feliz por estar de volta ao pódio.”

Olhando para a luta pelo título:

“Nunca perdi a fé, sempre acreditei, mesmo nos fins de semana mais difíceis como Silverstone e Áustria, tentei não terminar em 15º, ou cair, não em 10º, sempre entre os cinco ou seis primeiros. Tenho 200 pontos porque em dias maus consegui resultados muito bons, assim agora estou apenas a aproveitar e a fazer o mesmo nas próximas corridas. Sei que não vai ser fácil porque agora vamos para circuitos completamente diferentes longe da Europa e esses dois pilotos ao meu lado são muito, muito fortes… mas vamos ver!”

Classificação Corrida MotoGP™Classificação Campeonato MotoGP™

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui